sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Artigo publicado na Revista Publicatio UEPG: Ciências Sociais Aplicadas, No 21 (2013)


FLUXOS IDENTITÁRIOS A PARTIR DO REFERENCIAL LINGUÍSTICO E 
INTERFACES CULTURAIS: UM ESTUDO SOBRE TRANSFORMAÇÕES E 
DESLOCAMENTOS CULTURAIS ENTRE DESCENDENTES DE ALEMÃES 
EM JOINVILLE-SC

Jailson Estevão dos Santos1
Taiza Mara Rauen Moraes2
RESUMO

No presente artigo, os focos de análise são referenciais linguísticos associados a fluxos identitários que motivaram transformações, deslocamentos e criação de mitos entre descendentes de alemães em Joinville-SC. O período investigado é o do “Estado Novo”, atrelado à campanha de nacionalização do governo Getúlio Vargas. Momento de transformações políticas e sociais que culmina na proibição do uso da língua alemã no Brasil, amplamente falada em Joinville/SC, repercutindo em mudanças identitárias pelo sufocamento linguístico e cultural. 

Palavras-chave: Identidade. Cultura. Referencial linguístico.

1 Teólogo e professor (Português e literaturas vernáculas), especialista em educação. Mestrando em Patrimônio Cultural e Sociedade: UNIVILLE – Universidade da região de Joinville. Email: jeste@ig.com.br

2 Professora titular do curso de Letras e do Mestrado - UNIVILLE – Universidade de Região de Joinville, com mestrado e doutourado em Teoria da Literatura pela Universidade Federal de Santa Catarina. Coordena o Comitê Proler Joinville e o Programa Institucional de Incentivo a Leitura da Univille. Desenvolve projetos de pesquisas na área de Letras e Cultura, com ênfase em Leitura em Meios Eletrônicos, Memória e Gênero. E-mail: taiza.mara@univille.br


Nenhum comentário:

Postar um comentário